Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


História e apoio através do daroportoaomanifesto@gmail.com

11.02.13

De 1807 a 1811, o exército Napoleónico invadiu Portugal três vezes. Como consequência a família real Portuguesa foi transferida para a colónia no Brasil, onde ficou até 1821. Do Brasil, o Rei João VI liderou o império transatlântico durante treze anos. 
Invariavelmente, a partir do Porto, a 6 de Junho de 1808 eclode a primeira revolta. A em 16 de Junho, quando foi retirada a bandeira Portuguesa e colocada a francesa na tradicional procissão de Corpus Christi, o levantamento popular foi o detonador da grande revolta do Porto. 
Os Franceses, alarmados com a dimensão da revolta popular, ordenaram ás suas tropas para que se dirigissem ao Porto com o objectivo de restabelecer o domínio francês. O General Loison saiu de Almeida em 17 de Junho, passando por Lamego, Régua e Mesão Frio. Ao aproximarem-se de Padrões de Teixeira (para os lados de Baião), as tropas de Loison - o terrível "Maneta" dos relatos populares - encontraram forte resistência organizada pelo então tenente-coronel Silveira. Os portugueses praticavam uma perturbadora modalidade de guerra, a que os soldados franceses não estavam habituados: a guerrilha. Ao fim de três dias de combates foi forçado a retirar para Lamego e, sempre sob perseguição de camponeses armados, retrocedeu para Viseu, depois para Celorico, reentrando finalmente em Almeida, em 1 de Julho, onde encontrou refúgio na fortaleza. 

A seguir a derrota das forcas Francesas em 1814, Portugal sofreu fortemente de falta de liderança, que timidamente acabou com a chegada do Rei. 

Embora os Portugueses tenham ganho a guerra sozinhos, o país encontrou-se numa situação de ser uma colonia do Brasil, e um protectorado Inglês. O exército Português receava ainda um controlo do seu exército por parte das forças Inglesas. Em 1808, com o assinar de um pacto com os Ingleses que arruinou o comércio de uma cidade economicamente forte como o Porto, (o famoso pacto relembrado nas aulas de Economia Internacional no capitulo em que se estuda Adam Smith a nossa cidade, com uma burguesia dinâmica e forte, uma tradição liberal e independente foi o epicentro da Revolução Liberal. 

Meus caros, está na altura do Porto mais uma vez marcar uma posição ao País, libertarmo-nos da ladroagem acéfala que lidera Portugal, mancomunada com interesses de poucos, em nada orientada na construção de um país com uma economia vibrante, livre e criadora de oportunidades. O Rui Moreira não é nenhum salvador da pátria, mas é a oportunidade para algo apontarmos num caminho novo e renovador e ao mesmo tempo sem extremismos nem aventuras loucas, com a estabilidade que o país precisa nesta altura crítica. 

Manuel Salgueiro, Economista, Londres

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:04

Correio recebido através do daroportoaomanifesto@gmail.com

06.02.13

"Tripeiros:
Temos a grande oportunidade de mostrar ao país que somos diferentes. Escolher um presidente da câmara pelo seu percurso na vida civil e não pelo facto de se ter inscrito num partido aos 16 anos e agora ter um lugar á espera na administração publica, qualquer que ele seja, ou numa instituição privada para pagar favores concedidos na atividade politica. O facto de se ter licenciado numa escola publica e não numa faculdade privada criada por políticos para conseguirem ser Dr. em curso de dificuldade zero e de validade nula.
O facto de o seu timing ser gerido pelo interesse publico e não pelo interesse pessoal. O facto de conhecer a cidade há longos anos.
O facto de nós o conhecermos há longos anos. Vai valer a pena nós os apartidários, mas não independentes com as questões da nossa cidade, abraçar esta causa.
Vamos voltar á politica?...eu estou disponível!"
Milheiro da Costa
Médico

"Caro Rui Moreira,
Desejo-lhe o maior sucesso, caso seja candidato.
No entanto, aprendi que não devemos "passar cheques em branco" a ninguém, muito menos a quem se quer candidatar a um cargo politico. O ultimo que passei foi ao Fernando Gomes (o melhor Presidente que o Porto já teve) e foi o que se viu quando as Tágides o embalaram com o seu doce canto.
Reconheço que sendo Portista, como eu, tem aí uma enorme vantagem sobre os outros candidatos. Mas para além disso, não sei qual o seu pensamento politico. Das inúmeras vezes que o escutei na TV, fiquei com a ideia de ser um Homem do centro-direita (não é o meu ideal politico), no entanto isso não é impeditivo do apreço que tenho pelas suas opiniões sempre ponderadas e objectivas. O facto de se candidatar como independente é para mim (e julgo para a maioria dos Portugueses) uma vantagem a seu favor, mas tudo depende dos compromissos que tenha que fazer para ser "independente".
Portanto meu caro concidadão Portuense, aguardo que defina a sua posição em relação à candidatura e depois ao seu pensamento e objectivos para a Cidade do Porto.
Um abraço de admiração"
Fernando Couto

"Exmo. Dr. Rui Moreira,
Li o manifesto "Dar O Porto Ao Manifesto" e não poderia concordar mais. No entanto, após ler todos os chavões surgiu-me uma pergunta: como? Confesso que, há semelhança da grande maioria dos portugueses e dos portuenses, ando cansado da nossa "classe política" e, principalmente, da falta de opções. Pelo que conheço de si, pela comunicação social, parece-me que a sua candidatura poderá ser um oásis neste deserto político que vivemos. No entanto, deixo a pergunta, que espero ver respondida no seu programa eleitoral: Como?
Cumprimentos"
Pedro Sousa
Engenheiro, Administrador de Sistemas

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:47

Junta-te a nós, DÁ O PORTO AO MANIFESTO!

06.02.13

Download do manifesto:

http://www.scribd.com/doc/123364170/Manifesto-pdf

 

Faz like na nossa página do facebook e deixa a tua mensagem:

https://www.facebook.com/pages/Dar-O-Porto-Ao-Manifesto/325207607579126

 

Subscreve o manifesto em:

https://www.change.org/petitions/dar-o-porto-ao-manifesto

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:47

Os apoios que se seguem...

05.02.13

(através do daroportoaomanifesto@gmail.com)

 

"Bom dia,
Apoiaria uma candidatura de Rui Moreira à CMP. Desde logo por não fazer parte do aparelho de nenhum partido político! Mas não apenas por essa razão: parece-me pessoa lúcida, sensata e inteligente. Tenho lido vários dos seus textos nos quais demonstra ter ideias sérias e positivas para a cidade e a região, sem cair em chavões populistas. Foi das poucas figuras píblicas que pareceu entender as razões do descontentamento que levou às manifs do 15/Set., o que me leva a acreditar que podemos finalmente ter um político que se preocupe com os verdadeiros desfavorecidos da sociedade - a classe média!
Melhores Cumprimentos"
Hélder Castro Silva

 

Anjos Mendes
manifestou o seu apoio a este movimento

 

André Rodrigues Barbosa
Jurista
manifestou o apoio a este movimento

 

"Uma decisão pessoal. Um projecto colectivo e identitário."
Joaquim Pinto Lobão
Ex- Candidato do PSD à JF de Matosinhos

 

"Rui Moreira tem o perfil ideal para dar continuidade ao trabalho de rigor já iniciado por Rui Rio, sendo capaz de manter o Porto e o Norte, com a força necessária para fazer frente ao centralismo de Lisboa."
João Carlos Fontes
Arquitecto

 

"Boa tarde,
A candidatura de Rui Moreira renova a esperança que a nossa cidade vai continuar a ser gerida por um Líder sério e com provas dadas fora da política. Manifesto o meu total apoio a esta candidatura."
Pedro Cerquinho da Fonseca
Gestor

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:48

As tuas ideias para o Porto

05.02.13

Aproveita este espaço e expõe as ideias que gostavas de ver aplicadas na cidade.

-------------

"Muito obrigada por criar uma alternativa para a cidade. E, melhor ainda, independente.

Quando li sobre as outras candidaturas, pensei que a única coisa boa era que dava tempo para criar uma alternativa.
Ainda bem que apareceu.
Como sugestão para a cidade:
Vivo no centro, e há algumas coisas que contribuiriam para a melhoria da qualidade de vida:
- redução do tráfego e limitação de velocidade (por exemplo, com "mecos" e lombas) nas ruas residenciais;
- negociar com concessionários preços de avenças em parques de estacionamento públicos para moradores, no centro;
- definição de zonas de bares e zonas residenciais, para evitar conflitos (quem escolher uma zona de bares para investir ou morar fa-lo-á conscientemente, assumindo as vantagens e desvantagens);
- Domingos sem carros na marginal (eventualmente só de manhã);
- horários claros para os parque municipais, sobretudo o Parque das Virtudes, cujo horário é aleatório (vivo a menos de 5min a pé);
- aproveitar bem/ criar mais zonas verdes, raras no centro.
Cumprimentos"
Ana Aguiar
Prof. Universitária, Engenheira

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:58


calendário

Março 2013

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Comentários recentes


Twitter


Arquivos

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Arquivos

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D